| Joinville (47) 3439.5009 | Palhoça (48) 3341.0007
micropavimento 25/01/2021

Você já ouviu falar em micropavimento?

Toda obra de engenharia, por mais bem executada que tenha sido, tem um tempo de vida útil finito, ou seja, em algum momento irá precisar de manutenções e reparos. Com a pavimentação não é diferente. Pensando em criar uma solução com custo mais reduzido a pavimentos asfálticos, aumentando a vida útil do mesmo, foram desenvolvidos materiais como o micropavimento, utilizado em larga escala principalmente em rodovias.

Mas, antes deste texto, você já tinha ouvido falar em micropavimento? Faz alguma ideia do que este material é? Abaixo, nós explicamos tudo sobre ele. Você poderá conhecer o micropavimento, ver quais são as suas vantagens e entender quando ele deve ser usado em uma obra de pavimentação asfáltica.

Continue a leitura e confira!

 

O que é micropavimento?

Trata-se de uma película de emulsão asfáltica modificada por polímeros e misturada com pequenos agregados selecionados minuciosamente. Ele é utilizado para realizar a manutenção de pavimentos asfálticos, podendo atuar na maioria dos problemas enfrentados nas ruas brasileiras, principalmente envelhecimento e fissuras no pavimento.

Sua aplicação é a frio, isto é, ele não precisa estar superaquecido — como é o caso do asfalto comum — para ser aplicado. Além disso, sua aplicação exige apenas que a usina móvel aplique o material onde o reparo deve ser feito; ele não precisa ser compactado posteriormente.

Apesar de ter sido criado na Alemanha no início da década de 1970, o MRAF (micro revestimento asfáltico a frio) — como também é chamado — se popularizou apenas em meados dos anos 1980.

 

Quais são as vantagens do material?

A primeira vantagem que devemos citar é a que costuma importar mais para os responsáveis por esse tipo de projeto: o preço. Quando comparado a outras soluções, como o CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente), o micropavimento pode custar até 1/3 do valor. Quando o assunto é custo-benefício, poucos se comparam a ele.

Outra característica positiva do material é o seu desempenho. Através de pequenas adequações na fluidez da mistura na primeira camada, obtém-se um material que penetra nas trincas. Isso proporciona um bloqueio muito eficiente, o que evita a infiltração de água e resolve a patologia que exigiu que ele fosse aplicado. Estima-se que, em média, o MARF aumente a vida útil do pavimento em cerca de 4 anos.

Por fim, não podemos deixar de citar a rapidez de aplicação, fazendo o projeto ser muito mais rápido.

Importante salientar que, após a sua aplicação, o tráfego pode ser liberado logo após a cura do material, um pouco mais de duas horas, dependendo do clima e temperatura da região.

 

Quando o micropavimento deve ser usado?

Este é, provavelmente, o ponto mais importante em relação ao micropavimento. Ele deve ser aplicado apenas na ocorrência de trincas por fadiga, fissuras que ocorrem das camadas superiores para baixo ou pequenas deformações decorrentes de grandes mudanças de temperatura.

Todos esses são exemplos de problemas superficiais, e a aplicação do micropavimento nesses casos ajuda no processo de restauração das propriedades funcionais da superfície do pavimento.

Quando o problema estiver em camadas abaixo da superfície, a utilização do micropavimento não é recomendada. Isso porque ele não é um material com propriedades estruturais. Para que seja eficaz, é fundamental que as camadas abaixo estejam em condições de promover o suporte estrutural adequado.

 

E aí, o que achou do micropavimento? Gostou de saber mais a respeito deste assunto? Se tiver gostado do texto e quiser continuar recebendo nosso conteúdo, não deixe de seguir a Britagem Vogelsanger no Facebook e no Instagram!

Receba nossas novidades em seu e-mail

    Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. Desenvolvido e Otimizado por WEBI
    Joinville Palhoça